Jornal O Diário

Quarta-Feira, 27 de Maio de 2015

Última atualização:06:00:00 AM GMT

Você está no canal: POLÍCIA

POLÍCIA

Criminosos capturados em blitz


Continuavam presos na Cadeia de Mogi das Cruzes, na tarde de ontem, os criminosos Marcos Sérgio Fonseca, de 53 anos, e Régis Franco de Oliveira, 31 anos. O primeiro está condenado por homicídio e Régis por roubo, conforme decisão da Justiça. Eles foram capturados sexta-feira pelos investigadores Walter e Kiko, do Setor de Investigações Gerais (SIG) durante a Operação Tolerância Zero, da Polícia Civil.

Marcos Fonseca foi detido na Vila Aparecida, em César de Souza, onde reside. A equipe cumpriu mandado de prisão expedido pelo juiz de Direito Freddy Lourenço Ruiz Costa, da 1ª Vara Criminal. Ele o condenou a 12 anos de reclusão por matar a golpes de faca o industriário Luis Alberto Aires, de 26 anos.

O crime foi praticado na noite de 10 de setembro de 2008, na Rua João Franco Martins, no Bairro da Ponte Grande. A vítima chegou a ser socorrida ao Hospital Luzia de Pinho Melo, porém não resistiu aos ferimentos.

A Polícia Civil não teve dificuldade em esclarecer o homicídio doloso (com intenção), pois o autor do crime, Marcos Fonseca, deixou cair a sua carteira de identidade no local, bem próximo à vítima, ao fugir.

Os policiais, do SIG, surpreenderam também o outro procurado, Régis Ferreira de Oliveira, no seu serviço, o Auto Center Ribeiro, na região central de Mogi. Ele trabalhava como alinhador mecânico, mas como foi condenado a seis anos, dois meses e 20 dias, além de 15 dias por roubo que cometeu em 25 de novembro de 2010, foi levado para o presídio. A decisão também foi do juiz Freddy Lourenço.


Tráfico

No Bairro do Botujuru, na Rua República, Leandro dos Santos, de 27 anos, foi capturado por tráfico por policiais, do SIG (Mauricy e Carlos), também na blitz da Polícia Civil. O acusado estava com 102 pedras de crack, R$ 246,00 e um celular que usava para comercializar entorpecentes. O delegado André Junji Ikari e a escrivã Carmen Gomes o autuaram em flagrante. A droga foi encontrada sob um colchão no quarto de Leandro. Segundo os policiais, ele confessou que vende entorpecentes há sete meses para sobreviver.

Na mesma via, a equipe composta por Hemerson Loureiro e Paulo Gonçalves deteve Paulo Ricardo Campos, de 26 anos. De acordo com os policiais, na casa dele havia 311 papelotes de cocaína e um revólver, de calibre 38, além de 10 projéteis. A arma estava danificada e suja. Ele alegou que o revólver era do seu colega “Paulinho”, o qual morreu em um acidente com motocicleta. O delegado André Ikari o autuou em flagrante por tráfico e posse ilegal de arma. E em seguida, mandou escoltá-lo à Cadeia de Mogi. (Laércio Ribeiro)

Delegacia Seccional terá nova sede em junho



O engenheiro Antônio Cláudio Chamorro, proprietário da Topus Terra Engenharia e Construção, recepcionou na tarde da última quarta-feira (13) o seccional Marcos Batalha, chefe da Polícia Civil na Região do Alto Tietê, o seu assistente, o delegado Ricardo Glória e a delegada Vera D’Antracoli, titular da Delegacia de Proteção ao Idoso. A O Diário, Batalha apresentou as novas instalações da Delegacia Seccional, a qual será ocupada em 30 dias, segundo ele.”Já estamos fazendo a mudança dos móveis, equipamentos e documentos pertinentes à Polícia Judiciária”, garantiu.

De acordo com o engenheiro Chamorro, “o prédio ficou em harmonia dentro do contexto Centro Cívico; sofreu reforma geral e ampliação”. A sua construtora está cuidando dos últimos detalhes, mas ele ressalva que “ficaremos aqui de três a quatro meses para dar qualquer tipo de manutenção se necessário”.

É na gestão administrativa de Batalha que se realiza o tão sonhado projeto da Polícia Civil, a implantação de um moderno auditório com equipamentos sofisticados de multimídia. “As poltronas ainda estão em licitação”, avisa o seccional. Anexo ao auditório, há sala para breakfast, cozinha e banheiros.

Além do sistema hidtraúlico e elétrico, as novas instalações ganharam reestruturação de espaço com salas para cartórios, arquivos, sala de meio de comunicações, e das autoridades. O prédio é dotado até de elevador. 

O que ainda representa problema é o telhado, mas Marcos Batalha explica que “deverá ser realizada mais uma licitação para reformá-lo, apesar de o telhado ainda estar em condições de uso”. A Seccional terá jardinagem no entorno e no seu jardim de inverno na área externa.

O prédio estava em reforma desde 2012 e desde o ano passado a sua reinauguração tem sido anunciada, porém para o seccional, desta vez, “é definitivo”.

O Governo do Estado liberou a verba de R$ 1,996 milhão para a obra, a qual sofreu reajuste de 10,97%. A Seccional ainda abrigará o Posto do IRGD para emissão de carteiras de identidade.

O delegado Ricardo Glória, conforme Marcos Batalha, acompanhou e coordenou toda a reforma. “Alguns itens como aumentar a altura do muro, iremos providenciar no futuro”, ressalta. Reconhece que as novas comodações beneficiam os policiais e o público. Quanto a cor negra do prédio,  a pintura do brasão da Polícia Civil e da denominação  Seccional de Mogi das Cruzes, deverá disfarçar o tom nebuloso das instalações.


DDM

O engenheiro Antônio Chamorro disse também que está prestes a concluir a reforma da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no Parque Monte Líbano. “O prédio, agora, terá cerca de 15 salas”, destacou. (Laércio Ribeiro)

Página 1 de 248