Jornal O Diário

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

Última atualização:04:00:00 AM GMT

Você está no canal: POLÍCIA

POLÍCIA

Itaquá: 4 mortos em tiroteios


Somente terminou, no fim da noite de anteontem, a ocorrência registrada pelo delegado Alexandre Cavalca, de plantão na Delegacia Central, sobre  homicídio qualificado (por motivo fútil e à traíção), resistência, localização e apreensão de veículo, mortes decorrentes de intervenção policial, associação criminosa e roubo. Enfim após latrocínio (matar para roubar) praticado por volta das 15 horas,  em um bar na Rua Teófilo Braga, 195, no Parque Piratininga, em Itaquaquecetuba,  cuja vítima foi o soldado PM André Felipe Rodrigues Santos, de 25 anos, houve intensa mobilização dos autores do crime. Segundo a versão oficial da Polícia Militar, dois deles reagiram e morreram em confronto, e há ainda uma terceira vítima de roubo que faleceu.

Os bandidos foram identificados como Thiago Pereira da Silva, de 19 anos, e Márcio Felipe Barbosa, de 18 anos. Eles residiam em Itaquá. Guilherme Ribeiro Cruz, de 20 anos, vítima de roubo chegou a pedir ajuda à PM, foi socorrido, mas não resistiu. Os corpos foram removidos ao Posto do Instituto Médico Legal, em Mogi.

O comerciante José Pedro da Silva, de 58 anos, contou na Delegacia que o soldado PM André estava em horário de folga, tomando uma cerveja quando de repente surgiram os marginais. Ele foi baleado, mas ainda assim revidou, ferindo alguns dos bandidos. A pistola automática, de calibre 40, da Polícia Militar,d e uso exclusivo de André, foi roubada.

Os marginais usaram no crime uma Kombi  furtada em Guarulhos. Um dos criminosos foi baleado pelo pm André e correu, caiu perto da Kombi, mas foi resgatado por um comparsa (Thiago) que o colocou em um Voyage e fugiu. Segundo testemunhas, a quadrilha entrou no bar e um dos integrantes pediu um copo de água. Com Thiago Pereira e Márcio Felipe os policiais encontraram dois revólveres, de calibres 38, com a numeração suprimida. Outros dois assaltantes escaparam. (Laércio Ribeiro)

Usuário de drogas é detido e morre ao sofrer enfarte



Em uma ação rápida os investigadores Britinho e Mineiro, do Garra 5 (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) abordaram na madrugada de sábado (13) último, três homens que promoviam atos de vandalismo na Rua Dr. Deodato Wertheimer, na região central de Braz Cubas, conforme explicou à equipe o “Paulo Segurança”, o qual trabalha numa panificadora nas proximidades. Um dos usuários de drogas diante da ação dos policiais civis em folga, passou mal. Britinho acionou uma equipe do Samu, porém Sérgio Felipe faleceu ao dar entrada no Hospital Luzia de Pinho Melo, no Bairro do Mogilar.

Os integrantes do Garra detiveram o segundo usuário de entorpecentes, identificado como Marcelo Rodrigues, de 35 anos, morador na Rua José Rosa, na Vila São Sebastião. Um terceiro viciado conseguiu escapar e até ontem, não havia sido identificado.

Segundo a equipe, Felipe carregava dois frascos de lança-perfume e três buchas de maconha. O delegado Daniel Cintra Miragaia, de plantão no 2º Distrito Policial, mandou elaborar Termo Circunstanciado por porte de drogas, cujo autor é Marcelo. A morte de Felipe também ficou registrada. O corpo dele foi removido ao Posto IML. A Polícia Civil segue nas buscas para identificar o viciado que escapou.

Carteiro vira refém e tem a carga roubada



“Vai, vai, já ganhamo (sic)”, gritou um dos três bandidos, que roubaram carga de um dos veículos da empresa brasileira de Correios e Telégrafos, no começo da noite de anteontem (10), na Rua Kazumo Sumizuno, no Jardim Santa Tereza, em Mogi  das Cruzes. O carteiro Wanderlei Tadeu do Carmo, de 45 anos, compareceu ao 2º Distrito Policial, em Braz Cubas, e comunicou o assalto ao delegado Fabrício Intelizano e à investigadora Érika Lemos Fernando.

Segundo ele esclareceu, inicialmente foi dominado por um bandido descrito como sendo negro, gordo e de 1,70 metro.

Na ocasião, o criminoso entrou no veículo dos Correios e mandou dirigi-lo até as proximidades. Ele mandou o carteiro não olhar de forma nenhuma. Em seguida, depois que parou o veículo, surgiram mais outros dois assaltantes.

Em uma via do Parque Olímpico, o trio retirou os objetos que seriam entregues para moradores. Wanderlei ainda foi obrigado a levar os marginais à Vila Brasileira, onde fugiram, tomando direção ignorada.

No Distrito Policial, o carteiro lamentou o assalto. Ele, no entanto, não pôde descrever os materiais furtados. Apesar dos momentos de terror, Wanderlei não sofreu agressões. 

O delegado Fabrício Intelizano mandou encaminhar o Boletim de Ocorrência de nº 5612 para a apreciação do titular Jorge Luiz Neves Esteves. O caso foi comunicado ontem ao Setor de Investigações. (Laércio Ribeiro)

Página 1 de 236